Balanço patrimonial: o que é, importância e o que deve conter

Balanço patrimonial: o que é, importância e o que deve conter

O balanço patrimonial é um dos principais relatórios de gestão que deve ocorrer por todas as empresas, seguindo a legislação específica. Apesar disso, não é incomum encontrarmos gestores com dúvidas nessa questão.

Afinal, quando iniciamos um negócio, acabamos nos deparando com inúmeras obrigações contábeis e nem sempre nos sentimos preparados para assumir todas essas tarefas.

Imagem por @atstockproductions / freepik

Todavia, para tomar uma decisão assertiva é preciso conhecer o balanço patrimonial da empresa. Na leitura a seguir, vamos das informações que confirmam a importância deste demonstrativo.

O que é o balanço patrimonial?

O balanço patrimonial, também chamado de Balanço Contábil, é um relatório gerado a partir do registro de toda a movimentação financeira da empresa durante um período determinado, que pode ser de três meses, seis meses ou até um ano.

Assim, esse relatório demonstra a situação patrimonial da empresa naquela data, constando todas as informações sobre bens, direitos e obrigações do empreendimento, além dos investimentos e fontes de recursos.

O objetivo do balanço patrimonial é verificar o equilíbrio entre as contas da empresa, sendo então um instrumento que garante o bom funcionamento da contabilidade empresarial. Esses registros devem ser mantidos organizados para que sejam entregues às autoridades competentes quando solicitados.

Como se estrutura um balanço patrimonial?

A estrutura desse relatório é baseada em três pontos:  o ativo, o passivo e o patrimônio líquido. Lembrando que ainda que eles são desdobráveis em circulante e não circulante. Veja:

  • Ativos:  são os bens e direitos da empresa e investimentos que trazem benefícios financeiros para o negócio, exemplo: imobilizado, caixa;
  • Passivos: são as obrigações financeiras da empresa., exemplo: fornecedores a pagar, empréstimos;
  • Ativo circulante: é todo bem e direito que pode ser convertido em dinheiro dentro de 12 meses, como exemplos: duplicatas a receber, estoques;
  • Ativo não circulante: valor que poderá ser convertido em dinheiro após o prazo de 12 meses, ou seja, bens com uma maior durabilidade;
  • Passivo circulante: são as dívidas com terceiros que devem ser pagas dentro de 12 meses;
  • Passivo não circulante: são as obrigações que permaneceram por mais tempo junto a empresa, ou seja, além de 12 meses;
  • Patrimônio líquido: é o valor contábil pertencente aos acionistas ou sócios da companhia. Neste grupo demonstra-se o capital injetado acrescido dos lucros obtidos na operação.

Qual a importância do balanço patrimonial?

Entre os benefícios da análise do balanço patrimonial pode-se destacar a “saúde financeira da empresa”, uma vez que, o balanço relata como está o patrimônio.

Dessa forma, quando o profissional contábil expõe as informações contidas no balanço ele conseguirá mostrar aos gestores se o patrimônio empresarial corre risco, se a empresa deve mais do que possui, entre outros dados.

Outro destaque e um dos pontos de grande relevância é a possibilidade de disponibilizar os indicadores financeiros através dos números fornecidos no balanço patrimonial, ferramentas essenciais para o controle e planejamento.

Entre esses indicadores estão: liquidez corrente; liquidez seca; liquidez imediata; liquidez geral; rotação de estoque; margem líquida; retorno do ativo; retorno sobre investimento, entre outros.

Além disso, o balanço patrimonial é imprescindível para os usuários externos analisarem o real valor do negócio. Todavia, é importante estar atento a alguns fatores, pois o que é representado como patrimônio líquido muitas vezes não traz o valor de mercado, mas sim o valor contábil do empreendimento.

Como fazer o balanço patrimonial?

Criar o balanço patrimonial do próprio negócio realmente não é uma tarefa muito fácil, mas veja os passos principais para montar seu balanço patrimonial:

1 – Determine um período

Como você já sabe, o balanço patrimonial mostra a situação financeira da empresa dentro de um período específico, então o primeiro passo é determinar a data do relatório.

Geralmente, o balanço patrimonial ocorre a cada 12 meses. Porém, isso não impede que tenha elaboração a cada três meses, como é o caso das empresas de capital aberto.

2 – Pontue seus ativos

Com a data definida você precisa considerar e contabilizar todos seus ativos dentro desse período.

Para facilitar a análise, considere listar os ativos como individuais e ativos totais. Quando os ativos têm sua divisão em diferentes itens de linha fica muito mais complexo de entender o relatório.

Lembre-se, os ativos dividem-se em dois grupos:

Ativos circulantes: 

  • caixa e equivalentes de caixa;
  • contas a receber;
  • títulos negociáveis de curto prazo;
  • outros.

Ativos não circulantes:

  • títulos negociáveis ​​de longo prazo;
  • ativos intangíveis;
  • propriedade;
  • outros.

3 – Pontue seus passivos

Identifique quais são as obrigações da empresa com terceiros, que assim como os ativos, são divididos em dois grupos:

  • Passivos circulantes
  • aluguel;
  • pagamentos de juros;
  • despesas acumuladas;
  • outros.
  • Passivos não circulantes:
  • empréstimos de longo prazo;
  • impostos de renda diferidos;
  • dívidas de longo prazo
  • outros.

4 – Faça o cálculo do patrimônio líquido

Nesta etapa você precisa listar as contas que apontam o valor contábil da sua empresa. Para ser mais simples considere, por exemplo, capital social, lucros acumulados, fluxo de caixa, entre outros.

Caso a empresa seja de propriedade privada, sendo de um único proprietário, será mais simples calcular o patrimônio líquido. Agora, se estamos falando de uma empresa de capital aberto, esse cálculo poderá ficar mais complicado.

5 – Compare o total do passivo e do patrimônio líquido com os ativos

Com a equação do balanço patrimonial é esperado um equilíbrio entre os ativos e o montante de passivos.  Para isso, o relatório é montado da seguinte forma: Lado esquerdo = Ativos e o Lado direito = Passivos e o Patrimônio Líquido

Os valores sempre se agrupam em contas e a sua ordem é determinada pela situação de liquidez. Assim, dessa forma, fica mais fácil analisar o relatório.

Quem é responsável pelo balanço patrimonial?

Trata-se de uma das obrigações da contabilidade, por isso costuma ser de responsabilidade do contador de confiança. Os pequenos empresários podem fazê-los o documento, mas é importante que ele siga todas as exigências e indicações legais.

De modo geral, o balanço costuma ter sua elaboração a cada 12 meses, porém é possível realizá-lo em menos tempo. No entanto, em termos legais, ele deve ocorrer ao final de cada exercício social.

Fonte: Rede Jornal Contábil .

Recommended Posts

Balanço patrimonial: o que é, importância e o que deve conter

Balanço patrimonial: o que é, importância e o que deve conter

O balanço patrimonial é um dos principais relatórios de gestão que deve ocorrer por todas as empresas, seguindo a legislação específica. Apesar disso, não é incomum encontrarmos gestores com dúvidas nessa questão.

Afinal, quando iniciamos um negócio, acabamos nos deparando com inúmeras obrigações contábeis e nem sempre nos sentimos preparados para assumir todas essas tarefas.

Imagem por @atstockproductions / freepik

Todavia, para tomar uma decisão assertiva é preciso conhecer o balanço patrimonial da empresa. Na leitura a seguir, vamos das informações que confirmam a importância deste demonstrativo.

O que é o balanço patrimonial?

O balanço patrimonial, também chamado de Balanço Contábil, é um relatório gerado a partir do registro de toda a movimentação financeira da empresa durante um período determinado, que pode ser de três meses, seis meses ou até um ano.

Assim, esse relatório demonstra a situação patrimonial da empresa naquela data, constando todas as informações sobre bens, direitos e obrigações do empreendimento, além dos investimentos e fontes de recursos.

O objetivo do balanço patrimonial é verificar o equilíbrio entre as contas da empresa, sendo então um instrumento que garante o bom funcionamento da contabilidade empresarial. Esses registros devem ser mantidos organizados para que sejam entregues às autoridades competentes quando solicitados.

Como se estrutura um balanço patrimonial?

A estrutura desse relatório é baseada em três pontos:  o ativo, o passivo e o patrimônio líquido. Lembrando que ainda que eles são desdobráveis em circulante e não circulante. Veja:

  • Ativos:  são os bens e direitos da empresa e investimentos que trazem benefícios financeiros para o negócio, exemplo: imobilizado, caixa;
  • Passivos: são as obrigações financeiras da empresa., exemplo: fornecedores a pagar, empréstimos;
  • Ativo circulante: é todo bem e direito que pode ser convertido em dinheiro dentro de 12 meses, como exemplos: duplicatas a receber, estoques;
  • Ativo não circulante: valor que poderá ser convertido em dinheiro após o prazo de 12 meses, ou seja, bens com uma maior durabilidade;
  • Passivo circulante: são as dívidas com terceiros que devem ser pagas dentro de 12 meses;
  • Passivo não circulante: são as obrigações que permaneceram por mais tempo junto a empresa, ou seja, além de 12 meses;
  • Patrimônio líquido: é o valor contábil pertencente aos acionistas ou sócios da companhia. Neste grupo demonstra-se o capital injetado acrescido dos lucros obtidos na operação.

Qual a importância do balanço patrimonial?

Entre os benefícios da análise do balanço patrimonial pode-se destacar a “saúde financeira da empresa”, uma vez que, o balanço relata como está o patrimônio.

Dessa forma, quando o profissional contábil expõe as informações contidas no balanço ele conseguirá mostrar aos gestores se o patrimônio empresarial corre risco, se a empresa deve mais do que possui, entre outros dados.

Outro destaque e um dos pontos de grande relevância é a possibilidade de disponibilizar os indicadores financeiros através dos números fornecidos no balanço patrimonial, ferramentas essenciais para o controle e planejamento.

Entre esses indicadores estão: liquidez corrente; liquidez seca; liquidez imediata; liquidez geral; rotação de estoque; margem líquida; retorno do ativo; retorno sobre investimento, entre outros.

Além disso, o balanço patrimonial é imprescindível para os usuários externos analisarem o real valor do negócio. Todavia, é importante estar atento a alguns fatores, pois o que é representado como patrimônio líquido muitas vezes não traz o valor de mercado, mas sim o valor contábil do empreendimento.

Como fazer o balanço patrimonial?

Criar o balanço patrimonial do próprio negócio realmente não é uma tarefa muito fácil, mas veja os passos principais para montar seu balanço patrimonial:

1 – Determine um período

Como você já sabe, o balanço patrimonial mostra a situação financeira da empresa dentro de um período específico, então o primeiro passo é determinar a data do relatório.

Geralmente, o balanço patrimonial ocorre a cada 12 meses. Porém, isso não impede que tenha elaboração a cada três meses, como é o caso das empresas de capital aberto.

2 – Pontue seus ativos

Com a data definida você precisa considerar e contabilizar todos seus ativos dentro desse período.

Para facilitar a análise, considere listar os ativos como individuais e ativos totais. Quando os ativos têm sua divisão em diferentes itens de linha fica muito mais complexo de entender o relatório.

Lembre-se, os ativos dividem-se em dois grupos:

Ativos circulantes: 

  • caixa e equivalentes de caixa;
  • contas a receber;
  • títulos negociáveis de curto prazo;
  • outros.

Ativos não circulantes:

  • títulos negociáveis ​​de longo prazo;
  • ativos intangíveis;
  • propriedade;
  • outros.

3 – Pontue seus passivos

Identifique quais são as obrigações da empresa com terceiros, que assim como os ativos, são divididos em dois grupos:

  • Passivos circulantes
  • aluguel;
  • pagamentos de juros;
  • despesas acumuladas;
  • outros.
  • Passivos não circulantes:
  • empréstimos de longo prazo;
  • impostos de renda diferidos;
  • dívidas de longo prazo
  • outros.

4 – Faça o cálculo do patrimônio líquido

Nesta etapa você precisa listar as contas que apontam o valor contábil da sua empresa. Para ser mais simples considere, por exemplo, capital social, lucros acumulados, fluxo de caixa, entre outros.

Caso a empresa seja de propriedade privada, sendo de um único proprietário, será mais simples calcular o patrimônio líquido. Agora, se estamos falando de uma empresa de capital aberto, esse cálculo poderá ficar mais complicado.

5 – Compare o total do passivo e do patrimônio líquido com os ativos

Com a equação do balanço patrimonial é esperado um equilíbrio entre os ativos e o montante de passivos.  Para isso, o relatório é montado da seguinte forma: Lado esquerdo = Ativos e o Lado direito = Passivos e o Patrimônio Líquido

Os valores sempre se agrupam em contas e a sua ordem é determinada pela situação de liquidez. Assim, dessa forma, fica mais fácil analisar o relatório.

Quem é responsável pelo balanço patrimonial?

Trata-se de uma das obrigações da contabilidade, por isso costuma ser de responsabilidade do contador de confiança. Os pequenos empresários podem fazê-los o documento, mas é importante que ele siga todas as exigências e indicações legais.

De modo geral, o balanço costuma ter sua elaboração a cada 12 meses, porém é possível realizá-lo em menos tempo. No entanto, em termos legais, ele deve ocorrer ao final de cada exercício social.

Fonte: Rede Jornal Contábil .

Recommended Posts