Guerra por talentos nas organizações

Guerra por talentos nas organizações

Lemos frequentemente sobre a relevância para as Organizações, de se ter em Pessoas, bem capacitadas, o seu principal ativo para o sucesso sustentável e perene.

Todos os recursos exigidos em qualquer Organização são fundamentais, mas as boas e produtivas Relações das Pessoas são essenciais e sempre considerando a Diversidade, a Equidade e a Inclusão (D.E.I.). Guerra por talentos nas organizações As Pessoas devem estar ao Centro, isso é certo.  Aqui não tem aquela de se dizer que não existe o certo e o errado; existe sim, o certo é Pessoas em 1° lugar. Se os Resultados e Realizações planejados, não estiverem sendo alcançados a contento pela Organização como um todo, é porque não está primeiro funcionando às Pessoas que a integram e às que com ela se conectam. No entanto, esta afirmação não quer dizer que se dispensa tecnologia, em especial as digitais habilitadoras, muito pelo contrário. São as Pessoas, habilitadas nos recursos e pelos recursos das ciências exatas, humanas e sociais, que os concebem e aplicam em prol de dores e demandas de outras Pessoas, de Organizações e da Sociedade. Portanto, é de se concluir facilmente o baita Desafio que é imposto à Organização, em especial à sua alta direção. Sabendo e considerando como as tecnologias de um modo geral, em especial as digitais habilitadoras (IA, IOT, Blockchain e tantas outras) impactam profundamente os requisitos de conhecimentos das Pessoas e as formas de como elas trabalham e trabalharão em novos ambientes de negócios digitais e em uma economia cada vez mais digital é que trazemos dois interessantes aspectos correlatos ao tema dessa newsletter. São muitos os aspectos, dezenas, talvez centenas. 1º ASPECTO – ORIUNDO DO IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS Conforme o relatório: O Futuro do Trabalho de 2023 do Fórum Econômico Mundial (WEF, em inglês), que contou com o apoio da Fundação Dom Cabral – FDC, alguns dados, números são surpreendentes e muito importantes, devido aos seus impactos. Abaixo e resumidamente alguns dados. Detalhes do referido Relatório, set/2023:
  • Foram analisadas 45 economias, 803 empresas de 27 diferentes setores e que, juntas, são responsáveis por mais de 11 milhões de postos de trabalho no mundo;
  • Milhares de novos empregos serão criados e milhares dos atuais postos de trabalho serão extintos;
  • Somente na agricultura, um dos setores mais impactados, a demanda de empregos deve subir 30%, gerando 3 milhões de novos postos;
  • 23% das ocupações no mercado de trabalho devem sofrer mudanças até 2027;
  • Foram analisados 673 milhões postos de trabalho, a expectativa é que 69 milhões de empregos sejam criados e ao mesmo tempo, 83 milhões de postos serão eliminados; e
  • Haverá redução líquida de 14 milhões de postos de trabalho, o equivalente a 2% do emprego atual.
2º ASPECTO – QUANTO A FORMA DE DESENVOLVER O TALENTO Do livro: 25 Melhores Práticas em Aprendizagem e Desenvolvimento de Talentos do Dr. Nick van Dam, Diretor Executivo da Deloitte, tendo como responsável no Brasil Francisco Antonio Soeltl, Presidente da MicroPower à época (2009), extraímos síntese útil para a proposta dessa newsletter: Pessoas e o atual cenário transformador do mercado de trabalho, oriundo das tecnologias digitais: Frase de abertura do referido livro – Capítulo I: “Se suas ações inspiram outras pessoas a sonhar mais, aprender mais, fazer mais e a tornarem-se melhores, você é um líder”. (John Quincy Adams);
  • Um modelo de Desenvolvimento Holístico de Lideranças para o Século XXI, requer: Visão Espiritual, Saúde Física e Mental, Entendimento intelectual e Competência Emocional e Social;
  • Formando Líderes com o tempo – Da base da pirâmide para o seu topo: Valores Essenciais, Estratégia do Negócio, Avaliação de Necessidades / Competências, Conteúdo e Design e Aplicação no Trabalho.
Do capítulo II: O Impacto da Aprendizagem na Gestão de Desempenho Para obter o comprometimento dos melhores talentos:
  • Desenvolvê-los sob aspectos que ampliem suas competências;
  • Alocá-los em projetos e trabalhos que envolvam suas mentes e corações; e
  • Conectá-los com as pessoas que os ajudarão obter o sucesso.  
  O modelo Desenvolver-Alocar-Conectar Esse modelo deve ser o ponto central da estratégia de utilização de talentos em uma organização. Ao focar nesses três elementos, os vínculos entre esses domínios geram competência, compromisso e alinhamento, que, por sua vez, melhoram o desempenho nos negócios.   CONCLUSÃO Dá para afirmar que há o certo. Pessoas ao centro! Considerar os aspectos sugeridos, levarão a sua Organização a um novo status no que se refere a Pessoas!   Artigo escrito por Ary Silveira Bueno, Fundador e Diretor da ASPR e VP Executivo do Instituto Brasil Digital – IBD

Fonte:  Guerra por talentos nas organizações

O post Guerra por talentos nas organizações apareceu primeiro em Em manutenção.

Recommended Posts

Guerra por talentos nas organizações

Guerra por talentos nas organizações

Lemos frequentemente sobre a relevância para as Organizações, de se ter em Pessoas, bem capacitadas, o seu principal ativo para o sucesso sustentável e perene.

Todos os recursos exigidos em qualquer Organização são fundamentais, mas as boas e produtivas Relações das Pessoas são essenciais e sempre considerando a Diversidade, a Equidade e a Inclusão (D.E.I.). Guerra por talentos nas organizações As Pessoas devem estar ao Centro, isso é certo.  Aqui não tem aquela de se dizer que não existe o certo e o errado; existe sim, o certo é Pessoas em 1° lugar. Se os Resultados e Realizações planejados, não estiverem sendo alcançados a contento pela Organização como um todo, é porque não está primeiro funcionando às Pessoas que a integram e às que com ela se conectam. No entanto, esta afirmação não quer dizer que se dispensa tecnologia, em especial as digitais habilitadoras, muito pelo contrário. São as Pessoas, habilitadas nos recursos e pelos recursos das ciências exatas, humanas e sociais, que os concebem e aplicam em prol de dores e demandas de outras Pessoas, de Organizações e da Sociedade. Portanto, é de se concluir facilmente o baita Desafio que é imposto à Organização, em especial à sua alta direção. Sabendo e considerando como as tecnologias de um modo geral, em especial as digitais habilitadoras (IA, IOT, Blockchain e tantas outras) impactam profundamente os requisitos de conhecimentos das Pessoas e as formas de como elas trabalham e trabalharão em novos ambientes de negócios digitais e em uma economia cada vez mais digital é que trazemos dois interessantes aspectos correlatos ao tema dessa newsletter. São muitos os aspectos, dezenas, talvez centenas. 1º ASPECTO – ORIUNDO DO IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS Conforme o relatório: O Futuro do Trabalho de 2023 do Fórum Econômico Mundial (WEF, em inglês), que contou com o apoio da Fundação Dom Cabral – FDC, alguns dados, números são surpreendentes e muito importantes, devido aos seus impactos. Abaixo e resumidamente alguns dados. Detalhes do referido Relatório, set/2023:
  • Foram analisadas 45 economias, 803 empresas de 27 diferentes setores e que, juntas, são responsáveis por mais de 11 milhões de postos de trabalho no mundo;
  • Milhares de novos empregos serão criados e milhares dos atuais postos de trabalho serão extintos;
  • Somente na agricultura, um dos setores mais impactados, a demanda de empregos deve subir 30%, gerando 3 milhões de novos postos;
  • 23% das ocupações no mercado de trabalho devem sofrer mudanças até 2027;
  • Foram analisados 673 milhões postos de trabalho, a expectativa é que 69 milhões de empregos sejam criados e ao mesmo tempo, 83 milhões de postos serão eliminados; e
  • Haverá redução líquida de 14 milhões de postos de trabalho, o equivalente a 2% do emprego atual.
2º ASPECTO – QUANTO A FORMA DE DESENVOLVER O TALENTO Do livro: 25 Melhores Práticas em Aprendizagem e Desenvolvimento de Talentos do Dr. Nick van Dam, Diretor Executivo da Deloitte, tendo como responsável no Brasil Francisco Antonio Soeltl, Presidente da MicroPower à época (2009), extraímos síntese útil para a proposta dessa newsletter: Pessoas e o atual cenário transformador do mercado de trabalho, oriundo das tecnologias digitais: Frase de abertura do referido livro – Capítulo I: “Se suas ações inspiram outras pessoas a sonhar mais, aprender mais, fazer mais e a tornarem-se melhores, você é um líder”. (John Quincy Adams);
  • Um modelo de Desenvolvimento Holístico de Lideranças para o Século XXI, requer: Visão Espiritual, Saúde Física e Mental, Entendimento intelectual e Competência Emocional e Social;
  • Formando Líderes com o tempo – Da base da pirâmide para o seu topo: Valores Essenciais, Estratégia do Negócio, Avaliação de Necessidades / Competências, Conteúdo e Design e Aplicação no Trabalho.
Do capítulo II: O Impacto da Aprendizagem na Gestão de Desempenho Para obter o comprometimento dos melhores talentos:
  • Desenvolvê-los sob aspectos que ampliem suas competências;
  • Alocá-los em projetos e trabalhos que envolvam suas mentes e corações; e
  • Conectá-los com as pessoas que os ajudarão obter o sucesso.  
  O modelo Desenvolver-Alocar-Conectar Esse modelo deve ser o ponto central da estratégia de utilização de talentos em uma organização. Ao focar nesses três elementos, os vínculos entre esses domínios geram competência, compromisso e alinhamento, que, por sua vez, melhoram o desempenho nos negócios.   CONCLUSÃO Dá para afirmar que há o certo. Pessoas ao centro! Considerar os aspectos sugeridos, levarão a sua Organização a um novo status no que se refere a Pessoas!   Artigo escrito por Ary Silveira Bueno, Fundador e Diretor da ASPR e VP Executivo do Instituto Brasil Digital – IBD

Fonte:  Guerra por talentos nas organizações

O post Guerra por talentos nas organizações apareceu primeiro em Em manutenção.

Recommended Posts